Quem Somos  |  Produtos e Serviços  |  Presidente  |  Nossos Escritórios  |  Contato
 
Notícias
Eventos
Clipping
 
 
Principal
Áreas de Atuação
Jurisprudência/Casos de Sucesso
Esportes
Doutrinas e Artigos
Informativo Tributário
Notícias
Clipping
Eventos
Publicações
Representantes
Área Restrita
 
 
Pesquisar
 
 
 
Caso Marielle: MP-RJ diz ser favorável à participação da PF nas investigações - 17/08/2018
O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) expediu, na quarta-feira (16), ofício ao ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, no qual "reafirma considerar de extrema relevância a cooperação de quaisquer estruturas estatais de poder nas investigações dos assassinatos da vereadora Marielle Franco e de seu motorista, Anderson Gomes".

No documento encaminhado ao ministro Jungmann pelo procurador-geral de Justiça, Eduardo Gussem, destacou o "estimado valor da colaboração da Polícia Federal para a elucidação do caso, uma vez que o órgão está legalmente autorizado a atuar em episódios dessa natureza".

Na manhã desta quinta-feira, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou em Salvador, que a Polícia Civil do Rio de Janeiro recusou a oferta para que a Polícia Federal assumisse a investigação da morte de Marielle Franco. Jungmann esteve na capital baiana para a 70ª reunião do Colégio Nacional de Segurança Pública do Brasil (Consesp).

"A resposta que eu obtive [da polícia do RJ] foi que não era necessário, que eles davam conta. Então, apesar de oferecer a Polícia Federal, que é uma das melhores polícias do mundo em investigação, houve um entendimento do Rio de Janeiro que não era necessário, então nós estamos fora do caso Marielle", disse o ministro.

Segundo nota divulgada pelo MP, o procurador-geral indica que no decreto que trata da intervenção federal no Rio, qualquer iniciativa para "agregar esforços" deve ser utilizada pelo atual comando do setor, general Braga Netto.

Gussem manifestou que, "caso o interventor e seu gabinete avaliem que a PF deve atuar no caso, quer contribuindo com as investigações, quer assumindo-as, basta que seja formulada a devida requisição".

O procurador diz, no entanto, que "qualquer que seja a opção, tal medida não deve ser confundida com o deslocamento de competência para a Justiça Federal".


Fonte: G1
<< Voltar
Édison Freitas de Siqueira Advogados Associados S/S - OAB/RS 22.136 - OAB/SC 22.281-A - OAB/GO 28.659-A - OAB/MG 92.047 - OAB/RJ 2.541-A - OAB/SP 17.2838-A - OAB/DF 2.074-A - OAB/MT 10.305-A - OAB/BA 23.016
A Ordem dos Advogados de Portugal - OAP/Lisboa 21.530L
Todos os direitos reservados © 2008
CA 91362
English version
Nosso trabalho e história profissional estão disponibilizados nesta página. Nossas atividades profissionais são reguladas pela Lei Nº 8906, de 04/07/1994, razão pela qual as nossas informações serão disponibilizadas mediante a comprovação de vosso efetivo interesse demonstrando a opção e a vontade de entrar no nosso site.